Desejo, amor e paixão em tempo de caos

Nenhuma pessoa preencherá mais do que 70% das suas expectativas relacionais.

E as mulheres devem baixar ainda mais seus níveis de exigência. Afinal, os homens não são compatíveis com DR (discutir a relação).

Portanto, se você achou alguém que atingiu estes patamares, pare de reclamar. Você era feliz e não sabia. E se você achou alguém que ultrapassou estes patamares, desculpe-me amigo(a), você está se iludindo. Mas viva esta fantasia enquanto durar.

Basicamente as relações são construídas quando o parceiro é:

1. muito bom de cama, seja lá o que represente isso para cada um de nós.

2. você e o outro tem muitas coisas em comum, tal como gostar de shopping, montanhismo ou xadrez.

3. o outro e você tem planos em comum, como montar uma oficina, construir um prédio, ou jogar na Sena toooda a semana.

Se o outro for só bom de cama ele será apenas um amante. Quando, exclusivamente tiverem coisas em comum, o outro será apenas amigo. Assim como, quando somente partilharem planos, o outro se tornará seu sócio. Porém, combine dois destes aspectos e você terá grande chance de construir uma relação chamada casamento!

Afinal, quantos casamentos você conhece, que duram anos, sem sexo, mas com muita cumplicidade e associação comercial. Ou relações duradouras, onde o casal transa muito, têm planos e vivem brigando. Ou ainda, casais com um sexo super encaixado, e que tem uma série de coisas em comuns, menos projetos de vida semelhantes.

Mas… mesmo que você encontre uma pessoa com quem estes três aspectos, nem por isso você está livre da insatisfação.

Em primeiro lugar por que o animal humano é isso mesmo: um insatisfeito. Caviar todos o dias enjoa. Nada melhor do que variar de vez em quando. Mesmo que você me jure de pés juntos que jamais pensou em trair o seu companheiro (a) com o seu personal trainer, provavelmente é porque você não tem o hábito de lembrar dos seus sonhos, este lugar escuro e traiçoeiro, que destrói as reputações mais ilibadas. (ainda bem que ninguém pode acessá-los, a não ser o seu psicanalista, que em princípio não deve ter sexo).

Em segundo lugar, minha querida leitora, a diferença entre você e uma chimpanzé é de menos de 2%. Com uma fêmea de chimpanzé transa muito e com muitos parceiros, se você retirar este aparente verniz civilizatório, emergirá uma mulher em fogo, deliciosamente insaciável e infiel.

E por último, existe a maior subversora e inimiga das relações estáveis: a paixão. Contra ela não há razão ou combinação possível que resista. Afinal, quem já não se apaixonou por alguém que era péssimo na cama, sem nenhuma cumplicidade, e com que você jamais sequer vislumbrou planos em comum?

Avisos aos navegantes: esteja muito atento se o outro passou a régua na relação. Ele leva a sua libido, seu sorriso, seu assunto, o que lhe é de direito e muito mais. Mas já notou que é neste período de luto que aparecem pessoas realmente incríveis, que você desejaria estarem disponíveis quando você também estava? Então aproveite,

– E o amor? Ninguém ama antes de seis ou sete anos de relação. E como está provado cientificamente que absolutamente nenhuma paixão resiste ao terceiro ano, àquele só surgirá quando esta se for.

Alguém já disse que só se pode dizer que se ama alguém, quando você contempla o objeto do seu amor, aquela pessoa sensível, de formas perfeitas, encarnação de todos os seus sonhos, confortavelmente sentado no vaso sanitário a esvaziar-se de si mesmo, circundado por uma redoma de aroma indescritível, e ainda assim seu coração ser preenchido por este sentimento tão almejado e tão pouco experimentado: o amor. (Esta visualização é ótima também para nivelar celebridades e os humanos comuns).

Mas raramente damos tempo ao tempo para cultivá-lo. Em tempos virtuais como o nosso, cheio de estímulos e exigências, não nos deixam cultivar o amor. E logo, logo, estaremos enroscados em em mais um caso rumoroso de paixão ordinária e galopante.

Joris Marengo